Teletrabalho na Pandemia: Expetativa versus Realidade

04-09-2020

Trabalhar a partir de casa é o desejo de muitas pessoas. Sonham não ter de enfrentar o trânsito, acordar mais tarde, ter tempo para outras tarefas, estar mais tempo junto dos filhos, alimentarem-se a horas com comida feita em casa e, sobretudo, não terem de cumprir um horário fixo.

Isto é tudo possível, e até recomendo, mas cuidado com as expetativas criadas à volta do trabalho a distância. Na hora de decidir trabalhar a partir de casa, veja se tem os requisitos todos, especialmente nesta fase de pandemia.

Não perco tempo no trânsito

Expetativa: Quer se desloque de transportes ou de automóvel, certamente irá poupar esse tempo que gastaria no percurso de ida e volta.

Realidade: Antes da pandemia, já trabalhava em home office, mas na fase confinamento, em que tudo estava fechado, só tinha vontade de sair e de conduzir sem destino. Sim, o tempo que não gasto na deslocação utilizo para outras coisas importantes: caminhadas, supermercado, organização da casa, cuidados pessoais ou fazer tudo com mais calma.

Acordo mais tarde

Expetativa: Pode aproveitar o tempo que gastaria na deslocação para descansar mais um pouco e acordar com mais energia.

Realidade: Com as coisas que quero fazer e como planeio ter um final de dia mais tranquilo, tenho o meu despertador para 7h. Assim, consigo organizar melhor o meu dia, se acordar mais cedo, em vez de ficar mais tempo na cama.

Tenho tempo para outras tarefas

Expetativa: Por estar em casa tem a possibilidade de gerir as tarefas domésticas, sair com uma amiga a meio da tarde e estar disponível para qualquer necessidade que surja como ir ao supermercado em horas de menor movimento, organizar a casa, e tudo o que lhe pareça inadiável.

Realidade: Se eu não definir o momento em que vou realizar estas atividades ou tarefas, terei muitas interrupções, o que diminui o meu rendimento diário. Tento estar focada no meu trabalho ao longo do dia, mas sou flexível em momentos de menor fluxo.

Posso dar mais atenção aos meus filhos

Expetativa: Claro que estar por perto dos seus filhos pode ser uma vantagem. Estar disponível a qualquer momento, SEMPRE que eles precisarem, especialmente nesta fase, é essencial. Será que é sempre possível quando se está a trabalhar em casa? Vai depender muito da idade e da autonomia dos seus filhos.

Realidade: Tenho 2 filhas com idades muitos diferentes, uma de 18 e outra de 5 anos. Sem escola (irá voltar em setembro), sem parques infantis abertos, atividades canceladas, sem amigos porque o distanciamento assim obrigava, ouvi muitas vezes: "O que é que eu posso fazer agora?!". Numa fase em que o meu trabalho aumentou, sentia-me dividida entre o meu papel de mãe e o de profissional. Tive de parar um pouco e planear uma rotina de tarefas divertidas para ela. Resultou? Às vezes sim... outras vezes birras. Graças à disponibilidade e paciência da irmã, conseguimos!

Como comida caseira

Expetativa: Por estar em casa não precisa de comer fora. Pode alimentar-se com comida saudável feita em casa. Se gosta de cozinhar, é um grande benefício para a sua saúde.

Realidade: Que bom que é comer comidinha caseira... feita por mim... quase todos os dias. Almoçar fora sim, mas quando me apetece.

Não tenho de cumprir um horário

Expetativa: Chega de cumprir um horário fixo. Pode trabalhar às horas que quiser.

Realidade: Eu tenho um horário. É um pouco flexível, mas tenho um horário. Se eu não tiver um horário de trabalho como é que eu me organizo? Só com muita organização é possível responder a todos os meus clientes e ter tempo para a minha vida pessoal.

Poupo dinheiro

Expetativa: Vai poupar dinheiro em transportes, refeições e cafés.

Realidade: Ainda que saia de casa e vá almoçar fora, poupo dinheiro sim. Esta é uma das grandes vantagens e em que a realidade corresponde à expetativa.

O trabalho a distância, em tempo de pandemia, trouxe-me muitos desafios, outras formas de me organizar e comecei a valorizar mais a minha liberdade. Se foi verdade que ficámos em casa muito tempo, também é verdade que tenho mais flexibilidade para dois mundos muito importantes: o trabalho e a família. E, quando estes dois mundos me apelam em simultâneo, lembro-me da principal razão por que comecei a trabalhar como assistente virtual: a independência. Depois, tenho uma visão de crescimento e de aprendizagem e sei que, a qualquer momento, posso mudar o local onde quero trabalhar (se a pandemia não me impedir).

Agora que algumas mudanças se avizinham, sei que existe o risco de voltar a ficar em casa em confinamento, e isso, assusta-me um pouco. Não sei como irei responder a uma possível segunda fase, mas espero conseguir estar à altura de eventuais desafios. 

Bom trabalho e até breve.
Cristina


Trabalhar a partir de casa é o desejo de muitas pessoas. Sonham não ter de enfrentar o trânsito, acordar mais tarde, ter tempo para outras tarefas, estar mais tempo junto dos filhos, alimentarem-se a horas com comida feita em casa e, sobretudo, não terem de cumprir um horário fixo.

Queria ser jornalista. Depois de terminar o curso, Filipa conseguiu alguns estágios em jornais e publicações locais. Trabalhava sem contrato e sem horário, mas com muitas promessas. Estava a começar a sua carreia e a esperança tornou-se a razão para apostar tudo em cada experiência que saía frustrada. O jornal fechou, a revista não lhe pagou o que...

Por mais livros que as pessoas leiam, por mais cursos que as pessoas frequentem, por mais gurus que as pessoas sigam, há sempre alguém com dificuldade em mudar de vida.