Quando a competição se mascara de cooperação

15-03-2019

Que os resultados podem melhorar quando se trabalha em cooperação, todos sabem! Que o equilíbrio entre competição e cooperação é fundamental, também. Consegue identificar quando alguém quer competir consigo sob o véu da cooperação?


A competição é uma característica ainda muito premiada. Basta pensar no desporto individual onde a luta pelo o primeiro lugar é disputada com toda a garra. Nos desportos coletivos também existe competição dentro da própria equipa, não fossem os atletas premiados também pelo seu desempenho individual. 

No mundo do trabalho não é muito diferente. Apesar de se falar em cooperação entre equipas dentro das empresas, estas, continuam a premiar o desempenho individual de cada trabalhador. 

Assim, o colaborador vê-se diante de um paradoxo. Se ao trabalhar sozinho e em competição pode conseguir um determinado resultado e o mérito será sempre seu, quando trabalha em cooperação, os resultados poderão ser superiores, mas atribuídos à equipa. Assim, pode ficar no dilema entre escolher um bom resultado individual ou num excelente resultado em equipa.

É claro que é preciso existir um equilíbrio entre a cooperação e a competição, mas nem todas as pessoas gostam de competir ou conseguem cooperar. A competição em exagero pode originar conflitos e disputas dentro da organização, mas se foram salvaguardados os valores como ética, justiça, responsabilidade e honestidade, a competição, pode ser saudável.

Convido-o a uma experiência muito simples. Pergunte-se a si quais as conquistas que tem mais orgulho. As que conseguiu realizar sozinho ou em grupo? Vá lá, seja honesto consigo. Não precisa de me responder. Não há respostas certas nem erradas! Há a sua resposta.

Competição vs. Cooperação

Quando alguém está em competição, está a disputar, a lutar, em concorrência com outros rivais.

Na cooperação, existe um contributo comum, uma colaboração, uma partilha de esforços, mas também uma partilha de resultados. A cooperação tem um efeito sinergético, ou seja, o todo é maior do que a soma das partes. Por isso, um mais um não é igual a dois, mas poderão ser três ou mais.

É muito fácil perceber a diferença entre estas duas formas de trabalhar, mas quando alguém assume que quer trabalhar em cooperação e está a trabalhar em competição, consegue identificar?


Vamos então ver as características dos falsos cooperativos:

  • Evidenciam o seu esforço 
  • Não valorizam o trabalho dos outros membros da equipa

  • Reclamam quando fazem alguma coisa pela equipa

  • Comparam-se com os melhores

  • Usam de falsa modéstia

  • Têm dificuldades em assumir as suas limitações

  • Não pedem ajuda, ordenam uma ação

  • Sentem-se superiores

  • Vêm a restante equipa como rivais 

Estas, podem ser algumas das características de pessoas altamente competitivas, mas quando têm de trabalhar em equipa, ficam em conflito e são incongruentes.

A crescente tendência de premiar a cooperação em vez da competição vem otimizar os resultados para as empresas e melhorar a forma como as pessoas se relacionam. É preciso encontrar o equilíbrio destas formas de interação e tirar o melhor dos dois mundos.

Cristina Pinto