Persistência VS Teimosia

23-11-2018

Somos encorajados a não desistir de nada, a persistir com os nossos sonhos e objetivos, porque um dia vamos conseguir alcançar o que desejamos. Será que é sempre assim? Não devemos desistir nunca? Como saber se estou a ser persistente ou teimoso? E quando não devemos desistir? 

Apesar da palavra teimosia ser confundida com persistência o seu significado é diferente. A teimosia é uma obstinação ou birra e a persistência corresponde a perseverança, constância e firmeza. 

O que é a teimosia?

A teimosia é a repetição de uma ideia ou ação sempre da mesma maneira à espera de resultados diferentes. Ser teimoso é não estar disponível para a mudança, apesar das evidências. Assim, a teimosia acaba por ser considerada uma característica negativa, mas muitas vezes confundida com a persistência. Lembra-se daquela expressão "Teimoso como uma mula."?

Teimoso como uma mula!
Teimoso como uma mula!

O que é a persistência?


A persistência também é a repetição de uma ação mas com método, estratégia, adaptação às circunstâncias e foco. Esta característica, considerada uma competência, é muito valorizada pela capacidade de avaliar os fatores externos e de mudar o modo de agir, sempre que necessário, com o propósito de alcançar objetivos. Independentemente do grau de dificuldade, a pessoa persistente, através da análise das circunstâncias e da busca de soluções, tenta encontrar uma forma de conseguir realizar algo como expor uma ideia, desenvolver um projeto ou desempenhar uma tarefa. Este exercício de análise requer humildade para reconhecer o que está a fazer de errado de modo a corrigir a sua ação. Aprender a andar de bicicleta ou dançar ballet são bons exemplos de persistência.  

Repetição, determinação e persistência.
Repetição, determinação e persistência.

Como saber se estou a ser persistente ou teimoso? 

Muito dificilmente um teimoso reconhece que está a ser teimoso ou quando reconhece confunde teimosia com persistência. O primeiro passo é o autoconhecimento. Analise os seus resultados e veja se já fez tudo o que estava ao seu alcance, se procurou ajuda ou mudou de estratégia. Se não encontra motivos para continuar e já perdeu a crença, talvez seja o momento de deixar o que não lhe faz sentido. Quando persiste você avança, mesmo que seja para descobrir que não é assim que se faz. Quando ateima você não sai do lugar, porque faz a mesma coisa da mesma maneira à espera de um resultado diferente.

A teimosia é muitas vezes confundida com a persistência.
A teimosia é muitas vezes confundida com a persistência.

Quando não devemos desistir?

Se existem momentos em que devemos desistir, existem outros que devemos continuar. Para que a persistência se mantenha, analise a sua motivação e o seu grau de comprometimento.

A motivação é um bom indicador para sabermos se devemos continuar. Quando existe motivação há uma vontade que se manifesta em energia para fazer mais e melhor.

O grau de comprometimento é elevado quando você se compromete consigo, mesmo sem precisar de dizer aos outros o quanto está empenhado.

Quando existe motivação e comprometimento é fácil descobrir ferramentas para alcançar os seus objetivos de modo persistente. Encontramos mais facilmente a solução para um problema se usarmos a persistência em vez da teimosia. 

Cristina Pinto