O Seu Currículo é Europass?

15-05-2020

Quando eu julgava que o currículo Europass era um modelo pouco utilizado pela maioria das pessoas e que a sua utilização estava prestes a cair em desuso, tive uma grande surpresa.
O que mais me espantou não foi o envio de um currículo neste modelo, mas a vontade em reescrever um currículo desta forma. Percebi que existe a ideia de que este é o modelo mais adequado para responder a uma oferta de emprego, mas eu discordo, especialmente se for para uma vaga nacional.

O que é o currículo Europass ou europeu?

De acordo com as normas europeias, é um currículo normalizado de forma a que todos os candidatos consigam apresentar com clareza e eficácia as suas as competências e qualificações a uma oferta de emprego na Europa.

Por que motivos não deve utilizar o modelo Europass?

Demasiado extenso

Um problema que identifico nos currículos é um número excessivo de páginas. E, a característica do currículo Europass, por ter muito campos de preenchimento (todos opcionais), é ter um número quase nunca inferior a quatro páginas, tornando a sua leitura demorada.

Informação em excesso

Além da sua dimensão, incluí informação desnecessária e que não deveria ser critério de seleção para uma vaga de emprego como a nacionalidade, o género ou número de documentos nas informações pessoais.

Não é diferenciador

Se estes currículos forem utilizados em massa, o recrutador sabe onde encontrar a informação com facilidade por já conhecer bem a sua estrutura, mas com qual dos currículos ele ficará na memória? Um currículo Europass ou um currículo personalizado e bem sintetizado?

Limitado

Impossibilidade de modificar a estrutura ou o design.

O currículo Europass é assim tão mau?

Não. Até penso que é preferível um currículo neste modelo do que num modelo mal estruturado, mas considero que tem desvantagens em relação a um currículo personalizado e mais resumido. 

Não precisa de ser uma modelo com um design muito arrojado, desde que consiga sintetizar as suas experiências, competências e qualificações de uma forma clara e concisa.

Mesmo que opte por um modelo com um design simples ou mais formal, ficará em vantagem em relação a outros candidatos que apresentem currículos com muita informação e nada diferenciadores. Neste caso, menos é mais e a sua capacidade de síntese pode fazer a diferença entre ser ou não ser contacto para uma entrevista.

Cristina Pinto


Trabalhar a partir de casa é o desejo de muitas pessoas. Sonham não ter de enfrentar o trânsito, acordar mais tarde, ter tempo para outras tarefas, estar mais tempo junto dos filhos, alimentarem-se a horas com comida feita em casa e, sobretudo, não terem de cumprir um horário fixo.

Queria ser jornalista. Depois de terminar o curso, Filipa conseguiu alguns estágios em jornais e publicações locais. Trabalhava sem contrato e sem horário, mas com muitas promessas. Estava a começar a sua carreia e a esperança tornou-se a razão para apostar tudo em cada experiência que saía frustrada. O jornal fechou, a revista não lhe pagou o que...

Por mais livros que as pessoas leiam, por mais cursos que as pessoas frequentem, por mais gurus que as pessoas sigam, há sempre alguém com dificuldade em mudar de vida.