Efeito Halo versus Efeito Horn

15-11-2019

Tem aquela sensação de que o seu trabalho é subavaliado e, que alguns dos seus colegas são extremamente valorizadas, apesar de demonstrarem algumas incompetências? Calma, pode ser "apenas" um erro na avaliação de desempenho: o efeito hallo ou o efeito horn.

O Que É o Efeito Halo e Efeito Horn?

Antes de mais, a palavra halo é de origem grega e significa auréola e horn é uma palavra inglesa que significa chifres.

Efeito halo
Efeito halo

O efeito halo é a tendência para atribuir características positivas quando se tem uma opinião favorável de uma pessoa, organização ou marca.

Efeito horn
Efeito horn

O efeito horn atribuí características negativas quando a opinião é desfavorável. Se, por exemplo, uma pessoa não tem uma boa aparência, é desorganizada e desonesta, a tendência é que seja mais fácil encontrar características negativas do que positivas.

É verdade que as pessoas não causam sempre só uma boa ou só uma má opinião, mas a primeira impressão pode criar um viés cognitivo. Por exemplo, na avaliação de desempenho de um colaborador, podem ocorrer distorções e a análise pode ser considerada injusta se apenas se tiver tido em conta a impressão previamente criada. 

Se pensar bem, esta tendência é um pré conceito, um julgamento prévio sem conhecer  o todo. Existe uma contaminação na avaliação, de modo negativo (efeito horn) e de modo positivo (efeito halo). 

Alguns exemplos

  • Quando um professor desculpa o atraso de um aluno aplicado e penaliza o aluno com menor desempenho quando este chega atrasado.
  • Se um cliente tiver o serviço de Internet a funcionar bem, facilmente desculpará uma falha nos serviços. No caso de ter uma opinião desfavorável da empresa, e esta falhar, aumentará a sua opinião negativa porque tem em conta uma avaliação prévia.
  • O desempenho do seu clube de futebol é (quase) sempre melhor do que o desempenho da equipa adversária, mesmo que isso não aconteça.  

Como tirar partido do Efeito Halo?

Cause uma primeira boa impressão e mantenha-se coerente. Já sabe, só tem uma oportunidade. Se não conseguir à primeira, será mais difícil mudar a opinião que o outro tem de si, mas não é impossível. 

Como não ser contaminado pelo Efeito Halo ou Efeito Horn?

Esqueça a primeira impressão e tente ser justo. Avalie a pessoa ou a empresa no seu todo. Apele à sua imparcialidade e capacidade de discernir para tomar uma decisão que não tenha a sombra de conceitos prévios. 

Este erro de avaliação pode ocorrer com qualquer pessoa e em qualquer profissão. Todos somos avaliados e todos avaliamos, por isso é importante estar atento às distorções que fazemos, mesmo sem querer. 

Cristina Pinto