Como gerir bem o seu dia em 3 tempos

03-08-2018

É lugar comum ouvir dizer que todas as pessoas têm 24 horas; que não há nada mais democrático do que todos terem direito a 1440 minutos diários; e, quem não conseguir "arrumar" a sua vida neste intervalo de tempo é desorganizado e não sabe gerir bem o seu tempo.

Mas como é que se gere o tempo, se ele tem sempre a mesma duração? Não gere! O que tem de gerir é a sua vida, de modo a que os seus afazeres caibam dentro dessas 24 horas. Mas como e que eu faço isso?

Primeiro, há duas coisas que precisa de saber: que o tempo não existe e que a perceção do tempo é subjetiva. Pode parecer um paradoxo o que acabei de dizer, mas já Einstein dizia que passado, presente e futuro são apenas ilusões.

O tempo é uma criação humana. O Homem encontrou uma forma ritmada (e genial) de contar o tempo de uma forma universal. Atenção, que eu não estou a dizer que não envelhecemos biologicamente, ou que determinados fenómenos naturais não ocorrem em determinada altura como o tempo frio no inverno e o tempo quente no verão (bem, este ano até podia dizer)! A natureza tem os seus ciclos naturais, mas a perceção desse tempo é muito abstrata. Veja, por exemplo, quando está distraído a fazer alguma coisa que gosta, o tempo voa, não é? E, quando está à espera de um transporte ou de ser atendido numa fila, os minutos podem parecer horas. O tempo é relativo, e a perceção que a pessoa tem do tempo a passar, pode ser alterada num outro momento e com outras circunstâncias (se estiver na fila a conversar com uma pessoa que gosta, por exemplo, a passagem do tempo parecer-lhe-á mais rápida). Imagine-se a viver numa ilha deserta sem relógio e a contagem do tempo passará a ser diferente, porque deixa de se preocupar com minutos e segundos. Apesar disso, continuará a envelhecer e as estações do ano continuaram a passar, mesmo sem saber as horas ou o ano em que está. Esta possibilidade de contar, ou não contar, o tempo não o altera, ele continua, faça o que fizer. E, é esta contagem temporal, que não existe, é uma ilusão e uma criação humana. 

O seu ritmo pode não se encaixar nesta contagem ritmada e universal. Todos temos ritmos diferentes e resultados também diferentes. O que é rápido ou lento para si pode ser diferente para outra pessoa, já que são adjetivos. E, adjetivos são subjetivos. Se fosse possível atribuir uma vigésima quinta hora ao nosso dia, quantas pessoas produziriam mais? Quantos ficavam satisfeitas com o fato de terem mais uma hora por dia? E, quantas pessoas matariam essa hora a não fazer nada? Como vê, não podemos dizer o que aconteceria, porque o ritmo de cada pessoa está adaptada a um tempo relativo e não a um tempo absoluto. Mas, porque o tempo é mensurável, deixo três dicas para gerir melhor o seu dia.

1. Um roupeiro pode ajudar

Depois de ter dito que o tempo não existe, agora peço que imagine um roupeiro com duas portas, prateleiras, varões e gavetas para arrumar a sua roupa toda. Escolha a cor que quiser. Para arrumar a sua roupa vai organizá-la da melhor forma possível, para que apenas esse roupeiro chegue, senão, terá de se desfazer dessa roupa que tiver a mais.

O que fez mentalmente com a sua roupa, pode fazer com a sua agenda. Os seus compromissos têm de caber no seu plano diário. Se não couberem, estão a mais e têm de passar para outro dia.

2. De trás para a frente

Já que o tempo é subjetivo, por vezes pensamos que temos tempo para fazer determinada tarefa mas não temos, especialmente quando temos a perceção de muito tempo livre. Se quiser chegar horas a um determinado lugar, comece pelo fim. Quando eu trabalhava como consultora imobiliária a hora da visita era o meu princípio. Contabilizava a hora de chegada, os possíveis imprevistos como a possibilidade de trânsito, não conhecer o caminho, a probabilidade de me perder (e não foram poucas vezes, mesmo com dois GPS, mapa e copiloto) e o tempo de percurso, para encontrar a hora que tinha de sair.

3. De cronómetro na mão

Para poder realizar o ponto anterior é necessário saber quanto tempo demora a realizar cada tarefa. É muito simples, contabilize o tempo que demora em cada ação. Ter consciência que demora X tempo a realizar determinada tarefa, permite aproximar-se do tempo real.


Nunca mais perca tempo, porque não há tempo para se perder. O que há, são oportunidades que se perdem.

Cristina Pinto