12 Regras para redigir um bom currículo

27-07-2018

Se for bem redigido, um currículo, é uma oportunidade de entrevista. Os recursos humanos têm de selecionar os melhores candidatos para a empresa e em pouco segundos decidem quem é chamado para uma entrevista.


Se procura uma boa oportunidade de trabalho, tem de investir algum tempo a preparar a sua apresentação às empresas que se quer candidatar. No fundo, um currículo, é uma história de vida que conta o seu percurso profissional e académico, e que valoriza as suas qualidades pessoais. Mas, para que o recrutador tenha interesse em si, tem de ser claro, objetivo, conciso, original e mostrar que tem as competências necessárias para aquele cargo. 

12 Regras para redigir um bom currículo:

  1. Se procura um emprego em áreas diferentes, faça um currículo para cada área. Não coloque todas as suas formações e experiências no mesmo currículo, a não ser que sejam todas relevantes para o cargo a que se candidata. 
  2. Expresse-se de forma concisa e não ultrapasse as duas páginas em formato A 4. Não receie deixar de fora alguma informação, seja sintético. Se tiver a oportunidade de uma entrevista, poderá desenvolver alguns pontos que considere relevantes e oportunos. O objetivo é captar a atenção do recrutador e que este tenha interesse em conhecê-lo. 
  3. Seja honesto quando falar de si. Não adianta mentir para conseguir um emprego. Existem muitas maneiras de se valorizar sem que tenha de faltar à verdade. Se tem pouco tempo de experiência profissional, destaque as suas competências pessoais, a sua formação académica ou outras experiências de vida.
  4. Coloque o essencial nos dados pessoais como o seu nome, endereço, email, telefone e data de nascimento. Informações como estado civil, número do cartão de cidadão ou NIF não são relevantes para esta fase de seleção. Caso seja necessário, ser-lhe-á pedido.

  5. Tenha um endereço de email decente. Se o seu endereço de email é algo do género: "bombom@gmail.com" ou "adeuschefe@hotmail.com", esqueça! Crie uma conta nova e de preferência com o seu nome.

  6. Existem dois termos que criam alguma confusão no momento de mencionar as habilitações literárias - formação académica e escolaridade. O campo "Formação acadêmica" é reservado a quem tem formação superior. Caso tenha o ensino secundário o termo correto deverá ser "Escolaridade". Na dúvida, o termo "Habilitações literárias" também está correto para as duas situações.

  7. Se já tem um longo percurso profissional e poucas habilitações, dê destaque à sua experiência profissional. Neste caso, coloque este campo em primeiro lugar antes das habilitações literárias. 

  8. Os idiomas só devem ser colocados se tiver conhecimentos médios da língua ou for se fluente. Não se esqueça que, se não tiver um diploma, o recrutador pode facilmente comprovar o seu grau de conhecimento se o entrevistar noutra língua.

  9. Cuidado com os clichés! Colocar no seu currículo que é: organizado, esforçado, trabalhador, honesto, pontual e que trabalha bem em equipa, não serve para NADA. É esperado que um trabalhador tenha estas características todas e mais algumas. São essas mais algumas que tem de colocar no seu currículo, aquelas que o diferenciam dos outros candidatos. O que é que os seus amigos e família dizem de si? Mas, se for muito organizado, diga-o de uma forma diferente, como por exemplo: "Tenho grande capacidade de planeamento e de gestão do tempo." ou "Aptidão por coordenar com eficiência os recursos disponíveis." 

  10. No campo "Atividades extracurriculares" ou "Outras informações" poderá colocar a sua experiência de voluntariado, cursos e seminários, prática de desporto, atividades artísticas e projetos desenvolvidos. É aqui que poderá brilhar se tiver pouca experiência profissional. Este campo está em branco no seu currículo? Então, está na hora de fazer alguma coisa.

  11. Nunca coloque o vencimento pretendido, não é de bom tom. Além disso, você ainda não conhece as condições nem a empresa, e o recrutador também não o conhece a si. Essa questão deverá ser discutida na entrevista, e se abordada pelo entrevistador.

  12. Por último, a fotografia. Colocar ou não colocar? Espera-se que o currículo fale por si e que, o entrevistador, quando o tiver à sua frente tenha uma pessoa com uma aparência cuidada e vestida de forma adequada à função a que se candidata. Por isso, não há necessidade de colocar a sua fotografia. E se pedirem? Claro que sim! 

Naturalmente que estas regras não são todas rígidas e haverá exceções, mas que têm de ser vistas caso a caso. Espero que estas dicas o tenham ajudado a escrever um bom currículo

Cristina Pinto